Aposentadoria de Lúcio encerra “geração penta”; veja o que faz cada um hoje

Depois de duas temporadas jogando a Série D do Campeonato Brasileiro pelo Brasiliense-DF, o zagueiro Lúcio anunciou ontem (29) sua aposentadoria dos gramados. O agora ex-jogador de 41 anos, com passagens por gigantes como Bayern de Munique-ALE, Inter de Milão e Juventus-ITA, São Paulo e Palmeiras, era o último nome da mais recente conquista mundial da seleção brasileira ainda em atividade. Agora, a “geração penta” definitivamente acabou.

Dezoito anos depois da conquista sob o comando do técnico Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo disputada no Japão e na Coreia do Sul, o UOL Esporte mostra o rumo que cada um teve após o fim da carreira. Você ainda se lembra de todos? Confira!

1 – Marcos

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Deixou o futebol em janeiro de 2012, quando defendia o Palmeiras. Hoje ele é dono de uma marca e de um clube de assinatura de cervejas e faz presença em eventos. Nas horas vagas, zoa os rivais do Palmeiras nas redes sociais.

2 – Cafu

Parou de jogar em 2010, dois anos após deixar o Milan. Ele é embaixador de uma marca de criptomoedas e de uma cervejaria, além de representar entidades como Fifa, Uefa, Laureus e Special Olympics em grandes eventos, como o lançamento da Copa do Mundo do Qatar. Ele teve uma fundação por 16 anos, mas ela fechou as portas em dezembro.

3 – Lúcio

Rescindiu contrato com o Brasiliense em outubro do ano passado, mas só ontem (28) decidiu encerrar a carreira. Nos últimos anos já vinha participando de eventos de lendas do Bayern de Munique como convidado. Ainda não divulgou os próximos passos.

4 – Roque Júnior

Aposentado desde 2010, quando defendeu o Ituano, já exerceu diversas funções nos últimos anos. Foi idealizador de um projeto que virou clube, o Primeira Camisa de São José dos Campos, treinador em clubes como Ituano e XV de Piracicaba e diretor no Paraná. Entre 2018 e o fim de 2019 foi diretor executivo da Ferroviária.

5 – Edmílson

Parou de jogar em 2012, após passagem pelo Ceará. Hoje é presidente do Futebol Clube Ska Brasil, clube fundado em junho do ano passado em parceria com uma empresa japonesa de investimentos e que tem sede na cidade de Santana de Parnaíba-SP. Edmílson também conduz uma fundação e faz presença em eventos como embaixador da academia de futebol do Barcelona, do Campeonato Francês e de um reality show do Campeonato Espanhol.

6 – Roberto Carlos

Aposentado desde 2012, quando defendia o Anzhi, da Rússia, tornou-se diretor de futebol do próprio clube após pendurar as chuteiras. Hoje é embaixador mundial do Real Madrid e representante de várias marcas, como companhia aérea e site de apostas esportivas. Ainda dá nome a um vinho e faz muitos comerciais na China.

7 – Ricardinho

Parou de jogar em janeiro de 2012, após passagem pelo Bahia. No mesmo ano iniciou como técnico, no Paraná. Ainda dirigiu outros seis clubes (Ceará, Avaí, Santa Cruz, Portuguesa, Tupi e Londrina). Em abril de 2018 foi contratado pelo Grupo Globo como comentarista, função que exerce até hoje.

8 – Gilberto Silva

Deu adeus ao futebol em 2015, dois anos após seu último jogo pelo Atlético-MG. Trabalhou em diversas áreas do futebol, como diretor de futebol do Panathinaikos, da Grécia, e consultor do Arsenal-ING. É embaixador do clube inglês e da Fifa, comentarista freelancer e podcaster. Desde novembro de 2019, conduz o “The Invisible Wall Show”, programas de áudio de cerca de 40 minutos sobre carreira e futebol. Também auxilia carreiras de jovens atletas.

9 – Ronaldo

Divulgação
Imagem: Divulgação

O protagonista do pentacampeonato de 2002 pendurou as chuteiras em 2011, com a camisa do Corinthians. Ele se dedicou a uma série de funções nos últimos anos, como dono de empresa de marketing esportivo e membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. Hoje, além de eventos e palestras, é dono do Valladolid, clube da elite do Campeonato Espanhol. Ele comprou 51% das ações da equipe e trabalha como presidente.

10 – Rivaldo

Parou aos 41 anos, com a camisa do Mogi Mirim, em 2014. Na época ele também era presidente do clube. Renunciou ao cargo no ano seguinte e hoje faz presenças em eventos, além de representar um site de apostas.

11 – Ronaldinho Gaúcho

Raul ARBOLEDA / AFP
Imagem: Raul ARBOLEDA / AFP

Está aposentado desde 2018, com a última passagem pelo Fluminense. Hoje se dedica a uma infinita variedade de negócios: é investidor ou garoto-propaganda em ramos como produtos fitness, investimentos, mercado imobiliário, corretora cambial, academia, camarote de carnaval, aplicativo, site de apostas e incubadora de start-ups. Isso além de eventos como lenda do Barcelona, palestras e de uma academia de futebol.

12 – Dida

Jogou pela última vez pelo Internacional, em 2015, e desde então dedicou-se a estudos para ser treinador. Já trabalhou no Pyramids, do Egito, e hoje é preparador de goleiros do time sub-17 do Milan, clube que defendeu como jogador entre 2000 e 2010.

13 – Belletti

Aposentou-se em 2011, poucos dias depois de assinar com o Ceará, por causa de problemas físicos, aos 34 anos. Trabalhou como comentarista do SporTV até 2016. Hoje atua no ramo de palestras, tem sua marca de escolinhas de futebol (Arena Belletti), é embaixador do Barcelona e estuda para ser treinador.

14 – Anderson Polga

Parou em 2012, após fazer parte do elenco campeão mundial pelo Corinthians, aos 33 anos. Desde então, está afastado do futebol, mas já afirmou que cogita voltar a trabalhar no esporte, como gestor ou treinador.

15 – Kléberson

Seu último clube foi o Fort Lauderdale Strikes, dos Estados Unidos, em 2016, quando ele tinha 37 anos. Hoje ele é técnico do time sub-12 e auxiliar do sub-19 do Philadelphia Union, também dos EUA. Quer seguir a carreira de treinador.

16 – Júnior

Parou de jogar no Goiás, aos 37 anos, em 2010. Atualmente, faz participações em eventos e jogos festivos pelo Brasil – recentemente, por exemplo, defendeu o time de lendas do São Paulo em torneio no Morumbi.

17 – Denilson

Reprodução/Bandeirantes
Imagem: Reprodução/Bandeirantes

Decidiu se aposentar em 2010, no Kavala, da Grécia, aos 33 anos e sofrendo com problemas no joelho. Desde aquele ano, trabalha na Rede Bandeirantes como comentarista esportivo. Hoje é um dos principais integrantes do elenco do programa Jogo Aberto. Também está no ramo das palestras.

18 – Vampeta

O volante se aposentou duas vezes: primeiro em 2008, pelo Juventus-SP, aos 34 anos, e depois em 2011, aos 37, como jogador-treinador do Grêmio Osasco. Hoje ele é o presidente do clube paulista, além de trabalhar como comentarista esportivo na Rádio Jovem Pan e ter sua própria marca de cerveja, a Vamp.

19 – Juninho Paulista

Lucas Figueiredo/CBF
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Encerrou a carreira em 2010, no Ituano, aos 37 anos, quando era presidente do clube. Ficou na gestão do time do interior paulista até o ano passado, quando deixou a equipe para assumir como diretor de desenvolvimento do futebol da CBF.

20 – Edilson

Anunciou a aposentadoria três vezes: em 2007, pelo Vitória, aos 37 anos; depois em 2010, pelo Bahia, aos 39; e finalmente pelo Taboão da Serra, em 2016, já com 45 anos. Após encerrar a carreira, aventurou-se por vários empreendimentos, como uma produtora musical, uma empresa de assessoria esportiva e uma companhia de moda. Acumulou dívidas trabalhistas e chegou a ser preso em 2018 por não pagar pensão alimentícia.

21 – Luizão

Aposentou-se em 2009, aos 34 anos, após assinar com o Rio Branco para o Paulistão do ano seguinte e nem chegar a jogar. Atualmente trabalha como empresário de jogadores. Também dá palestras e faz presença VIP em eventos.

22 – Rogério Ceni

Bruno Ulivieri/AGIF
Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

Parou de jogar no São Paulo em 2015, aos 42 anos, e desde então se dedica a ser treinador. Comandou o próprio São Paulo em 2017, mas foi demitido no meio do ano. Na temporada seguinte, assumiu o Fortaleza, onde está até hoje, com uma breve interrupção no ano passado — decidiu ir para o Cruzeiro para tentar salvar o time do rebaixamento, mas voltou para o time cearense menos de dois meses depois.

23 – Kaká

Caçula daquela seleção, parou em 2017, no Orlando City, dos Estados Unidos, com 35 anos. Anunciou a intenção de estudar para ser dirigente de futebol. Também é embaixador da ONU para programas de combate à fome.

Técnico – Felipão

Depois de ganhar o penta, passou por Portugal, Chelsea, Bunyodkor e Palmeiras antes de voltar à seleção para disputar a Copa de 2014. Depois, treinou ainda o Grêmio e o Guangzhou Evergrande, da China. Seu último trabalho foi de novo no Palmeiras, onde conquistou o título brasileiro de 2018 e acabou demitido no segundo semestre do ano passado. Aos 71 anos, está no mercado à espera de um novo clube para comandar.

Por Uol